Adala UK participa na 28º sessão do Conselho dos Direitos Humanos em Genebra

SIDAHMAD ISABELDesde dia 2 de Março Adala UK tem estado a participar na vigésima oitava sessão do Conselhos dos Direitos Humanos, nas Nações Unidas, em Genebra, procurando informar os participantes sobre a situação vivida pela população saharaui.

A delegação é composta pelo presidente da Adala UK, Sidi Ahmed Fadel, e pela coordenadora europeia para o apoio aos presos políticos saharauis Isabel Lourenço. Têm-se formalizado inúmeros contactos com Missões diplomáticas e ONG’s, apresentando os relatórios mais recentes da Adala UK sobre os presos políticos saharauis nas prisões marroquinas, as torturas, sequestros e maus tratos a que estão sujeitas as crianças nos territórios ocupados, a apropriação indevida da cultura, a situação das mulheres e a situação geral nos territórios ocupados. O presidente da Adala esteve ainda indicado duas vezes para intervir em plenário sobre a situação das crianças, tendo das duas vezes sido excluído no último instante.

Paralelemente, durante vários “side-events” patrocinados pelo Reino de Marrocos tenta-se impor a ideia de que os territórios ocupados são as “províncias do Sul de Marrocos”, um território de paz e desenvolvimento. Nestes “painéis” nunca foi permitido ao público colocar questões, nem houve qualquer diálogo. Segundo a delegação do Reino de Marrocos, que fora do painel falou com a delegação da Adala, não existem presos políticos saharauis nas prisões marroquinas e as ONG’s não são bem-vindas se tiverem uma opinião sobre o conflito de acordo com as resoluções da Nações Unidas – que reconhecem que se trata de um território Não Autónomo e que a ocupação é ilegal. Adala UK participou ainda nos painéis sobre mulheres e armas explosivas, tendo denunciando a existência de mais de 8 milhões de minas e “cluster bombs” ao longo dos 2720km do muro que Marrocos construiu no território.

Este tipo de armamento fez já mais de 2500 vitimas recenseadas e provocou a morte de camelos e outros animais de criação necessários à sobrevivência dos saharauis. Referimos que a desminagem é efectuada por um grupo de mulheres voluntárias que todos os dias iniciam esta tarefa com a frase “o primeiro erro que fazes será o ultimo”. Já foram desminados 26.000 metros quadrados pela ONG “Action Against Mines” mas esta tarefa não tem fim à vista.

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s