As violações dos direitos humanos no Sahara Ocidental ignorados mais uma vez e por mais um ano pela ONU!!!

  Ano após ano, Marrocos garante que a Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO) não assume as suas responsabilidades em matéria de direitos humanos. Um ano mais, são agora 24 anos no total e o Conselho de Segurança da ONU desperdiçou a oportunidade de reforçar a MINURSO, incluindo um mandato para os direitos humanos. Este  mandato iria documentar os abusos que acontecem diariamente e evitariam que novas e graves violações ocorressem. Seria ainda uma ajuda para que ambas as partes pudessem superar a desconfiança mútua e avançar para uma negociação política.

Agradecemos a todos os que têm colaborado com a Adala Reino Unido ao longo deste ano e a todos,  os que nos  Territórios Ocupados, que não só arriscam a sua própria segurança física, mas também a da sua família, a fim de documentar as graves violações dos direitos humanos cometidas por Marrocos. Continuaremos a trabalhar e a mobilizar o mais possível  visando o  fim de todas as violações dos direitos humanos no Sahara Ocidental.

Através do nosso trabalho ao longo do último ano, a Adala Reino Unido documentou toda esta situação relativamente aos  direitos humanos no Sahara Ocidental. As matérias mais preocupantes incluem:

* As limitações constantes á liberdade de expressão para com aqueles que defendem o direito à autodeterminação do povo Saharaui. Os grupos que defendem os direitos humanos são constantemente assediados pelas forças de ocupação Marroquinas;

* A proibição de manifestações e o uso desnecessário e excessivo da força, inclusive contra manifestações pacíficas em pequenos grupos de pessoas;

* Queixas regulares de tortura e maus-tratos,  queixas que raramente são investigados pelas autoridades marroquinas;

* Processos regulares de Saharauis civis julgados em tribunais militares, violando o direito internacional;

* As autoridades marroquinas ainda terão que fornecer os meios necessários para esclarecer o destino de centenas de vítimas de desaparecimentos forçados nas décadas de 70 e 80. 

A Adala Reino Unido acredita que é necessário ter um mecanismo independente para monitorizar os direitos humanos no Sahara Ocidental. A MINURSO deve finalmente ser expandida e incluir essa matéria fundamental. Continuaremos a pressionar essa inclusão. Não desistiremos. Continuaremos a pedir aos Estados membros do Conselho de Segurança da ONU para apoiar a monitorização dos direitos humanos independente, no Sahara Ocidental.

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s